Trump intensifica críticas a possível apoio de Hillary a recontagem de votos

Donald Trump e seus assessores intensificaram as críticas, neste domingo, à equipe de Hillary Clinton por se unir à recontagem de votos em Wisconsin, classificando a decisão de "ridícula" e "perda de tempo". Em uma mensagem no Twitter, Trump lembrou que não apenas conquistou a maioria do Colégio Eleitoral, como também recebeu mais votos em nível geral.
"Além de uma vitória esmagadora no Colégio Eleitoral, ganhei o voto popular, se não contarmos milhões de pessoas que votaram de maneira ilegal", afirmou. Também no Twitter, ele já havia mencionado Hillary Clinton para se referir à necessidade de respeitar o processo eleitoral e chamou a recontagem de algo "triste".
A ex-diretora de campanha e assessora de Trump Kellyanne Conway insinuou que, se a equipe de Hillary pressionar para fazer a recontagem, Trump poderá reconsiderar sua promessa de não processá-la por usar um servidor privado de e-mails quando era secretária de Estado. Trump foi "magnânimo" em relação à Hillary e "parece que sua resposta é que seu advogado se una a essa ridícula recontagem", disse Conway à rede ABC.
Reince Priebus, que será chefe de gabinete do magnata na Casa Branca, reforçou as declarações de Kellyanne. Segundo ele, embora o presidente eleito não esteja "buscando métodos e formas para perseguir e processar Hillary Clinton", poderá estar "aberto a ouvir", se aparecerem novos indícios contra ela.
A equipe de Hillary Clinton ainda não reagiu, mas o senador Bernie Sanders, derrotado pela ex-secretária nas primárias do partido, defendeu a recontagem. "O Partido Verde tem o direito legal de fazer isso", disse ele à CNN. "Há recontagens em praticamente toda eleição. Ninguém espera (que haja) uma mudança profunda", completou. A recontagem de votos foi pedida pela candidata do Partido Verde, Jill Stein. (AFP) Foto:  Drew Angerer / AFP  
 
 
Share on Google Plus

About Valéria Reis

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário